Por que os Moodles devem se concentrar na acessibilidade - Blog sobre MOODLE de Eduardo Kraus

Vocês que lêem meu blog e trabalham com EAD, com ou sem Moodle, em um mundo informatizado e que não consegue viver sem tecnologia e a medida que a tecnologia evoluiu, ela também foi adotada por um público mais amplo. Primeiro a internet era acessada por computadores de mesa, depois com a popularização dos laptops, e logo com a febre dos smartphones e tablets. Mas hoje, todos esses dispositivos estão nas mãos de uma população diversificada, de crianças pequenas a idosas. Com boa parte das crianças acessando um internet em casa, as gerações mais jovens estão se tornando nativas digitais, com uma compreensão intuitiva da tecnologia. Em contraste, as gerações mais antigas enfrentam uma curva de aprendizado íngreme e intimidante quando são introduzidas pela primeira vez na tecnologia do dia a dia.

Hoje, a maioria das pessoas com mais de 50 anos têmsmartphones. Você só precisa olhar para o Facebook para ver a mesma mudança na adoção. Em 2015, 45% da população brasileira acessava o Facebook mensalmente, e hoje mais de 100 milhões de brasileiros acessam a internet.

Então, por que saber disso é importantes para os quem trabalha com EAD? Saber lidar com uma gama tão grande de pessoas, com habilidades diferentes e conhecimento diferente é o que a acessibilidade trata:

A expressão acessibilidade Web refere-se a prática inclusiva de fazer websites que possam ser utilizados por todas as pessoas que tenham deficiência ou não. Quando os sites são corretamente concebidos, desenvolvidos e editados, todos os usuários podem ter igual acesso à informação e funcionalidade. Fonte Wikipedia.

Então, pra quem ainda achava que acessibilidade tratava apenas de um plugin, um tema que tem melhorias para leitura de tela, se enganou. Acessibilidade trata de manter seu ambiente acessível por todos os alunos. Sejam idosos, crianças, especialistas em informática ou aprendizes.

A evolução da adoção tecnológica é emocionante, mas também traz à tona um novo desafio a serem abordados, especialmente considerando que a maioria dessas tecnologias é construída e gerenciada por uma geração mais jovem e com tecnologia avançada. Com a sua familiaridade pré-existente com a tecnologia, a curva de aprendizado íngreme para as gerações mais antigas pode ser ignorada.

A tecnologia precisa ser acessível para todo, desde a UI até a UX. Claro, você tem um usuário alvo em mente, mas também aproveite o tempo para considerar como seu curso pode atender às necessidades de outros que ainda não considerou. Ao garantir que seja acessível, você proporcionará uma oportunidade para que outros descubram o valor do que você construiu. Afastar a intimidação da tecnologia para aqueles que são novos e melhorar suas vidas de maneiras que ainda não imaginaram.

Problemas de acessibilidade ao conhecimento podem ir muito além de problemas físicos da pessoa. Podem estar

Quanto aos alunos, às dificuldades que estes sentem para acessar seu ambiente devido à sua deficiência ou dificuldade:

  • Alunos cegos ou amblíopes;
  • Alunos surdos ou com dificuldades de audição;
  • Alunos com limitações motoras;
  • Alunos com problemas a nível cognitivo.

Em relação às situações existem os problemas relacionados com o software, com as comunicações ou equipamentos e com a compatibilidade dos navegadores:

  • Internet lenta;
  • Equipamento sem saída de áudio;
  • Resolução de tela menor que a do material publicado;
  • Falta de equipamentos (sem mouse ou sem impressora, por exemplo);
  • Utilização de impressoras monocromáticas.

No que refere aos ambientes são os problemas relacionados com o ambiente físico envolvente, exterior ou interior:

  • Utilização em ambientes barulhentos;
  • Utilização em ambientes interior/exterior com muita/pouca luminosidade;

Perceba que uma pessoa que não possui saída de áudio em seu computador, tem os mesmos problemas de acessibilidade que os alunos surdos. Ou uma pessoa sem o mouse possui mesmos problemas de acessibilidade que um aluno que não consegue usar o mouse por problemas motores.

Algumas dicas

  • Forneça texto alternativo apropriado.
    • Texto alternativo fornece uma alternativa textual ao conteúdo não-texto (imagens por exemplo) das páginas da web. É especialmente útil para as pessoas que possuem deficiência visual e necessitam de um leitor de tela para que o conteúdo do website possa ser lido para eles.
  • Certifique-se de que os links fazem sentido para o contexto.
    • Cada link deve fazer sentido se o texto do link é lido por si mesmo. Os usuários de leitores de tela podem escolher ler apenas os links numa página do site. Certas frases como "click aqui" e "leia mais..." devem ser evitadas.
  • Forneça Closed Caption ou legenda oculta nas cópias para meios de comunicação tais como Vídeos.
    • Com arquivos de áudio uma transcrição pode ser suficiente.
  • Assegure padrões de acessibilidade ao conteúdo para arquivos não-html, incluindo Arquivos PDF, documentos Microsoft Word, apresentações em Power Point e conteúdo no formato Adobe Flash Player. Além de todos os outros princípios listados aqui, documento semPDF e outros conteúdos em formato não-html devem estar tão acessível quanto possível. Se você não pode faze-lo acessível,considere usarHTML, no mínimo, fornecendo uma alternativa acessível. Os documento semPDF também devem incluir uma série de etiquetas para fazer com que seja mais acessível.Um arquivoPDF que utiliza Etiquetas tem a mesma aparência, porém, é quase sempre mais acessível para pessoas usando um leitor de tela.
    • E, como já disse muitas vezes, nunca publique arquivos Word ou PPT a menos que seja necessário que o aluno edite-os.
  • Não conte com cores para transportar significados
    • O uso de cores pode aumentar a compreensão, mas não use uma cor só para transportar informação. Essa informação pode não estar disponível caso a pessoa seja daltônica e estará indisponível para usuários de leitores de tela.
    • Também o fato de "colorir" seu ambiente torna ele feio e atrapalha a leitura. Usar cores sem conhecimento de uso de cores pode atrapalhar em muito os alunos.
  • Assegure-se que o conteúdo está escrito claramente e de fácil leitura
  • Design com padronização
    • O uso de HTML compatível e padrões de acessibilidade criam páginas mais robustas e fornecem melhores condições para a otimização do site para os sistemas de Busca. Os arquivos de "Folhas de Estilo" (Cascading Style Sheets) permite que seja separado o conteúdo da apresentação. Este recurso permite uma padronização mais fácil de todo o seu ambiente.
    • Também cuide da Tipografia do seu ambiente. Imagina que você quer dar credibilidade, mais esta usando fonte Comic Sans que é uma fonte para imitar as letras de uma histórias em quadrinhos para situações informais.

E ai? Você conhece seus alunos?

Gostou? Não esqueça de curtir!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta